7 de dezembro de 2019

Policial feminina imita Cabo Katia e mata ladrão em dia de folga em Campinas

Compartilhe

Uma policial militar feminina, de 43 anos de idade, que estava de folga, e, portanto, não vestia farda, matou a tiro um homem que tentou roubar dinheiro e fez reféns, entre eles crianças, em uma lanchonete no bairro Jardim Campos Elíseos, em Campinas.

O assaltante que morreu, identificado como Bruno Henrique Marques da Silva, de 31, que tinha saído da cadeia havia sete meses, e um comparsa, não identificado, invadiram o estabelecimento armados e exigiram dinheiro.

A policial, que presta serviço na 1ª Companhia do 8º Batalhão de Polícia Militar, estava na companhia de um grupo de amigos quando os ladrões chegaram com ameaças.

A lanchonete fica na Avenida Ruy Rodrigues na esquina com a Rua Arlindo Gomes. O proprietário, de 39 anos, foi um dos primeiros a ser rendido.

Conforme foi apurado, a policial sacou sua arma, se identificou como agente de segurança e deu voz de prisão. Ela atirou, conforme declarou, porque o assaltante fez gesto de fazer disparos contra as pessoas que estavam no local.

O homem, mesmo baleado, saiu correndo e pulou o alambrado de um terreno baldio. Seu comparas usou o comerciante como escudo humano para sair da lanchonete e fugir.

A arma usada pelo assaltante que morreu – um revólver de caibre 38 – foi encontrada na própria avenida, na calçada, em frente de um supermercado. O assaltante baleado foi achado morto no mesmo terreno baldio onde refugiou-se baleado.

A policial militar teve que fazer atendimento a uma balconista que entrou em estado de choque e ao próprio comerciante que foi ameaçado.

Ele tinha cumprido pena por roubo, receptação de produtos roubados e por tráfico de drogas. Morava no bairro DIC 1, na Rua Projetada, e tinha deixado uma penitenciaria em 20 de março deste ano, após cumprir três anos.

Uma irmã dele foi avisada, por telefone, sobre a morte durante um roubo a uma lanchonete.

O delegado Rodrigo Octávio Aydar Monteiro, do Plantão da 2ª Delegacia Seccional de Campinas, interpretou a atitude da policial como “excludente de ilicitude”, com base nos depoimentos, ou seja, que a policial agiu em defesa da própria vida e de terceiros.

A ação teve semelhanças com a reação da cabo Katia da Silva Sastre, de 42 anos, também da PM, que em 12 de maio deste ano matou um assaltante que atacou pessoas, incluindo crianças, em frene de uma escola no município de Suzano, na Grande São Paulo.

A cabo Katia foi eleita deputada federal por São Paulo com 264.013 votos nas eleições de 7 de outubro.

Compartilhe

2 thoughts on “Policial feminina imita Cabo Katia e mata ladrão em dia de folga em Campinas

  1. Boa noite, acho que o título da reportagem poderia ter sido melhor elaborado, pois a palavra imitou não pegou bem, no caso a policial agiu no estrito cumprimento do dever legal tal como a Cabo Sastre, uma melhor chamada seria: “Policial feminina da PM age heroicamente e evita assalto em Campinas.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *