Polícia consegue “levantar um muro” com 4.814 “tijolos” de maconha que vieram do Paraguai e passariam por Campinas com destino a Capital paulista

Compartilhe

As 4,6 toneladas de maconha, divididas em 4.814 tijolos, a maioria com peso de um quilo, foram apreendidas neste dia 26 de abril de 2.019 no município de Birigui, no Interior de São Paulo, que fica a 448 quilômetros de Campinas e a 516 quilômetros da Capital paulista.

O entorpecente saiu do Paraguai e foi colocado em dois caminhões com carroceria baú no município de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. Depois seguiu até o galpão de uma transportadora em Birigui – num percurso de 700 quilômetros.

A maconha seria distribuída em duas caminhonetes ( uma Amarok e um F-250) e em um Hyundai Azera para seguir para a Capital paulista. Uma informação obtida por policiais é que parte desse entorpecente iria ficar em Campinas.

A Polícia Militar Rodoviária recebeu uma informação anônima sobre a chegada desse entorpecente a Birigui. Uma operação relâmpago foi montada e equipes do TOR (Tático Ostensivo Rodoviário) foram até o galpão.

No local três homens foram presos. Eles teriam confessado que receberiam, cada um, R$ 2 mil, para fazer o transporte. Alegaram em depoimento que não sabem para quem seria entregue a droga.

O entorpecente e os presos foram levados para a Delegacia da Polícia Federal, em Araçatuba. Os tijolos de maconha empilhados formaram um “muro” de um metro e meio de altura – é que foram feitas três fileiras, porque, se fossem colados um sobre o outro seria possível levantar uma “parede” até o teto.

Os tabletes de maconha têm selos que indicam que a droga é proveniente do Paraguai. Ou seja, o objetivo da quadrilha era fazer a “Rota Caipira” – percurso por municípios do Interior paulista até chegar a Capital. Por isso, a PF passa a investigar a ação como tráfico internacional de drogas. Os três homens ficaram presos.

Compartilhe