Mulher que estava em restaurante acompanhada por um suposto amante apanha da esposa e da filha dele e ainda tem o celular furtado

Compartilhe

Uma auxiliar de enfermagem, de 47 anos, solteira, foi agredida com “tapas na face, puxões de cabelo, chutes e socos” por duas mulheres em plena Avenida Benjamin Constant, no trecho(foto) entre a Rua Dr. Quirino, a Rua Sacramento e a Praça Carlos Gomes, no Centro, em Campinas.

O motivo do espancamento seria um suposto relacionamento extraconjugal entre a auxiliar de enfermagem e o homem – ele é casado com uma das agressoras e pai da outra acusada. Elas são, portanto, mãe e filha de 38 anos e 19 anos, respectivamente.

Uma delas, ainda, segundo foi informado por uma testemunha das agressões, teria furtado o celular modelo Smartphone da auxiliar de enfermagem.

O homem, suposto pivô da atitude das duas mulheres, teria assistido a tudo sem sair do restaurante. Depois, ele foi embora. Provavelmente acompanhado das autoras das agressões.

O fato foi registrado no 1º Distrito Policial de Campinas como lesão corporal e furto, onde, a auxiliar de enfermagem é a vítima. As duas agressoras estão identificadas por nome no boletim de ocorrência. O homem também está identificado.

A auxiliar de enfermagem não informou à Polícia se tinha um envolvimento extraconjugal com o homem que a acompanhava no restaurante.

O registro policial, com base na versão da auxiliar de enfermagem, descreve na íntegra: “a vítima se encontrava junto com um senhor em um estabelecimento, o restaurante, quando em um dado momento duas mulheres, as quais são esposa e filha do senhor, adentraram nas dependências do local, coagiram a vítima a sair do local e em via pública agrediram-na fisicamente”.

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência (na íntegra): “a vítima ainda disse que uma das mulheres subtraiu seu Smartphone, tendo em vista que a dona do restaurante informou para a vítima que no momento em que era agredida pela esposa do senhor, a filha dele se apoderou clandestinamente do pertence da vítima”.

A mulher agredida foi submetida a exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal, que vai classificar a intensidade das lesões.

A Polícia Civil vai abrir inquérito. Mãe e filha serão investigadas como autoras de dois crimes previstos nos artigos 129 e 155 do Código Penal. O fato aconteceu na tarde de terça-feira 16 de abril de 2.019.

Compartilhe