29 de fevereiro de 2020

Menino de 9 anos vê pai bater na mãe com corrente e chama a polícia

Compartilhe

Um menino de 9 anos de idade telefonou para o 190 da Polícia Militar e pediu ajuda porque sua mãe, de 25 anos, era agredida pelo pai dele, o vigilante Romildo de Sousa Rosa, de 35 anos, na casa da família, no Jardim Interlagos, região do Santa Clara, em Hortolândia, município da RMC (Região Metropolitana de Campinas).

A criança, muito assustada e chorando a ponto de soluço, ligou de um celular para o telefone 190 e falava que estava com medo de a mãe ser morta.

Quando os policiais chegaram, deram voz de prisão.

Romildo agrediu a mulher com uma corrente de aço – usada para prender o cachorro.



Ele foi autuado em flagrante por lesão corporal e ameça e ficou preso no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Hortolândia, uma das seis unidades do Complexo Penitenciário.

A agressão ocorreu na casa de número 69 da Rua Haiti.

O casal começou a discutir por causa da mistura do jantar. Segundo foi apurado pelos policiais, Romildo reclamou porque queria carne para comer e exigia que a mulher preparasse.

O homem teve uma crise de atitudes violentas, pegou a corrente de prender o cachorro e passou a bater na mulher. Em seguida, conforme ela contou aos policiais, tentou enforcá-la.

O filho do casal gritou muito para o pai parar a agressão. Como a violência não parava o menino telefonou para a PM.

Os policiais informaram que a mulher sofreu uma lesão na orelha direita e por conta disso foi levada para o Hospital Mario Covas.



O menino ficou com os avós, mas, foi relacionado no auto de flagrante como testemunha.

A criança deverá ser encaminhada para uma avaliação psicológica por conta do trauma que passou.

“Por conta da representação ofertada pela vítima e a solicitação de medidas protetivas, deixou-se de ser arbitrada fiança criminal e o preso foi encaminhado para o CDP de Hortolândia”, informou o delegado Diego Bini, da Policia Civil.

Compartilhe

One thought on “Menino de 9 anos vê pai bater na mãe com corrente e chama a polícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *