7 de dezembro de 2019

Homem de 22 anos é preso em flagrante puxando namorada pelos cabelos

Compartilhe

Uma jovem de 21 anos foi retirada por guardas municipais das mãos de seu namorado, Cleber Alves de Oliveira, de 22, quando era espancada e arrastada, pelos cabelos, para um terreno baldio no bairro Bom Retiro, na cidade de Paulínia.

O homem estava descontrolado, conforme relato dos agentes de segurança, e gritava que pretendia matar a namorada.

Antes de os guardas chegarem, chamados por testemunhas do espancamento que acontecia no meio da rua, o agressor ameaçou pessoas que tentaram impedir a agressão e livrar a vítima.

Ele foi preso, autuado em flagrante por quatro modalidades de crimes e levado para a cadeia.

O espancamento começou por volta das 18h30 na Avenida Luiz Batista de Souza, a perto da casa de Cleber.

A namorada dele mora no bairro Cooperlotes.



Segundo foi apurado por guardas e policiais, o rapaz ficou descontrolado durante uma crise de ciúmes.

A jovem tentou ir embora, porém, foi agarrada e passou a sofrer violência.

Testemunhas contam que a mulher sofreu socos, chutes e pauladas.

A violência ocorreu na rua. As pessoas que tentaram contê-lo foram ameaçadas de agressão e morte.

A vítima gritava por socorro e passou a ser arrastada pelos cabelos.

Cleber falava, segundo foi apurado, que iria matá-la num terreno baldio.

Uma equipe da Guarda Municipal flagrou Cleber arrastando a namorada pelo asfalto.

Segundo os guardas, “foi necessário uso de força moderada e algemas para contê-lo”. Ele teria resistido à prisão. Depois de contido foi levado para a Delegacia da Polícia Civil.



A vítima foi levada para o Hospital e teve que ficar em observação.

Cleber foi autuado em flagrante por crimes de violência doméstica, lesão corporal, ameaça e resistência.

Foi decretada fiança de R$ 2.868,00 (três salários mínimos) para que, se ele fizesse o depósito à Justiça, responderia o crime em liberdade.

Porém, como nenhum de seus familiares fez o depósito o acusado foi levado para a cadeia do 2º Distrito Policial de Campinas.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *