7 de dezembro de 2019

Golpes de facão e tiros provocam as três primeiras mortes violentas de 2019 em Campinas

Compartilhe

Na Gleba B, no Jardim Aeronave e no Bairro da Vitória, em Campinas, três homens foram assassinados nas três primeiras horas de 2019. Uma das vítimas foi baleada quando, junto com a esposa, assistia a queima de fogos de artifício – uma possibilidade investigada pela Polícia é a de  que alguém fez disparos com arma de fogo para comemorar e uma bala perdida provocou a morte.

PRIMOS ATINGIDOS POR GOLPE DE FACÃO: UM MORRE – O primeiro homicídio do ano aconteceu aos 20 minutos do dia 1º de janeiro no bairro Gleba B, que é vizinho ao Parque Oziel e fica nas margens da Estrada Velha Campinas-Indaiatuba. Vivaldo Brito dos Santos Silva,(na foto, de boné, sem óculos) de 22 anos, foi atingido por golpes de facão em frente da casa onde ele morava na Rua da Mata. Um primo dele, Mateus Ramos de Santana, de 19 anos, escutou gritos de socorro e ao sair de casa para ajudar também foi atingido. Mateus sobreviveu e ficou internado no Hospital Municipal Dr. Mário Gatti. Vivaldo, atingido nos braços e cabeça, morreu quando era socorrido. Os dois foram levados para o hospital no carro de um vizinho. O autor dos golpes não foi identificado. Vivaldo havia nascido em Antônio Cardoso, município da Região Metropolitana de Feira de Santana, na Bahia, em 6 de junho de 1.996.

MATADOR VOLTA PARA “CONFERIR” E DÁ TIROS DE MISERICÓRDIA – Renan Wendell Bueno (foto, de boné e com óculos), de 27 anos, foi assassinado com três tiros às 3h do dia 1º de janeiro dentro da casa de seu sogro no Jardim Aeronave. Familiares contaram à Polícia Civil, que ele saiu de casa para caminhar um pouco depois da “passagem de ano”. Pouco tempo depois, retornou ferido por um tiro na coxa esquerda. Sentou-se na porta da casa e pediu ajuda para a companheira, de 27 anos, e para o sogro. Segundo foi apurado pela polícia, neste instante o atirador apareceu, para conferir se a vítima estava viva. Ainda com o revólver nas mãos, o homem mandou que ninguém avisasse a Polícia. Renan, levantou-se e correu para dentro da casa. O criminoso foi atrás dele e deu mais dois tiros de “misericórdia” atingindo o rosto e o peito. Renan morreu no local. O atirador fugiu. Renan nasceu em Valinhos no dia 22 de novembro de 1.991 e morava no Residencial 28 de Fevereiro. A informação da Polícia é de que ele tinha passagens por roubo e por lesão corporal. Outra informação da Polícia é que o atirador seria “uma pessoa conhecida.

COMEMORAÇÃO COM TIROS PROVOCA MORTE POR BALA PERDIDA – Anderson da Silva Olímpio, de 32 anos, foi atingido por um tiro quando, junto com a esposa, de 29 anos, assistiam a queima de fogos de artifício em comemoração a 2019. Foi por volta de 2h do dia 1º. A mulher contou aos policiais que estava com o marido na Rua João José de Oliveira, no Bairro da Vitória, região da Vila Georgina,  quando de repente ele caiu no chão sangrando. Naquele momento “havia queima de fogos”. Um morador vizinho o levou de carro para o Hospital Municipal Dr. Mário Gatti. Anderson não resistiu ao ferimento e morreu às 5h. A Polícia apura a possibilidade de alguém ter feito disparos de arma de fogo cujo barulho se confundiu com os fogos. E uma bala perdida atingiu a vítima. Anderson nasceu em 1 de outubro de 1.986 em Campinas. O caso foi registrado como morte suspeita.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *