29 de fevereiro de 2020

FREGUÊS DE BAR PEGA UM TACO DE BILHAR PARA SE DEFENDER DE UM HOMEM ARMADO COM PISTOLA PORQUE A ARMA FALHOU NA PRIMEIRA TENTATIVA DE DISPAROS MAS É ATINGIDO POR DOIS TIROS NO PEITO E MORRE NA FRENTE DA MULHER E DE AMIGOS

Compartilhe

Paulo Henrique Evangelista Reis, de 27 anos, foi assassinado em um bar na Rua Leonice Aparecida Oliveira da Silva, a antiga Rua 5, no Jardim Columbia, localizado na região do Jardim Campo Belo que é formada por 23 bairros que ficam nas margens das rodovias Vinhedo-Viracopos(a Engenheiro Miguel Melhado de Campos) e da Santos Dumont,  em Campinas.

O crime aconteceu às 23h30 do dia 15 de janeiro deste ano de 2.020. Paulo Henrique estava jogando bilhar acompanhado da mulher, de 44 anos, e de um grupo de amigos.

Segundo foi relatado à Polícia, cinco homens desconhecidos chegaram ao bar. Dois estavam em uma moto de cor preta e três estavam em um carro que tinha um adesivo na porta indicando que era transporte por aplicativo.

Os desconhecidos estavam armados, segundo foi relatado à Polícia. Eles perguntaram quem era o dono do bar. Mas, ninguém respondeu. O proprietário, de 24 anos, estava no local, porém, não se identificou.

Eles anunciaram que era assalto. E, um deles, apontou uma pistola para Paulo Henrique, que estava encostado na mesa de bilhar, e apertou o gatilho duas vezes. A arma falhou.

Paulo Henrique pegou um taco de bilhar e tentou atingir o homem que segurava a arma. O desconhecido apertou o gatilho de novo e a arma disparou três vezes à curta distância.

Dois tiros atingiram o peito de Paulo Henrique que morreu no local. As pessoas se esconderam atrás do balcão e da mesa de bilhar.

Os homens fugiram no carro e na moto.

O dono do bar entrou em estado de choque e não conseguiu conversar com os policiais. Estiveram no local, investigadores do Plantão da 2ª Delegacia Seccional de Campinas e da DHC (Delegacia de Homicídios de Campinas), além de policiais militares.

Foram encontrados dois estojos e uma munição intacta de calibre Ponto 45, arma usada no crime.

Paulo Henrique morava com a esposa no bairro Cidade Singer 2, que é vizinho. Ela disse aos policiais que o marido não tinha inimigos nem envolvimento com ações criminosas.

Paulo Henrique era natural de Espinosa, Minas Gerais, onde nasceu dia 2 de novembro de 1.992.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *