7 de dezembro de 2019

EM 58 DIAS MULHER É CHAMADA TRÊS VEZES NA DELEGACIA POR CAUSA DO FILHO ADOLESCENTE: A ÚLTIMA FOI PARA RECEBER A LIBERAÇÃO DO CORPO DELE, ASSASSINADO COM 12 TIROS

Compartilhe

Um adolescente de 16 anos foi morto com 12 tiros em frente de sua casa no Parque Valença 2, bairro do distrito do Campo Grande, em Campinas. Os disparos de pistola semiautomática de calibre 380 foram feitos por um homem desconhecido que estava na garupa de uma moto – que deixou o local em alta velocidade.

O crime aconteceu às 19h30 do dia 28 de novembro deste ano de 2019, quinta-feira, na Rua Daniela Perez. Horas depois, a mãe do adolescente, uma dona de casa de 43 anos, foi chamada no Plantão da 2ª Delegacia Seccional de Polícia para assinar um documento que permitiu a liberação do corpo do IML (Instituto Médico Legal).

Num período de 58 dias a mulher foi três vezes à mesma Delegacia de Polícia. No dia 1º de outubro deste ano de 2019, ela foi buscar o filho que foi apreendido pela Polícia Militar quando tentava comprar uma moto roubada. No dia 27 de outubro de 2.019, a mulher voltou à mesma unidade policial para buscar o filho que foi apreendido, de novo pela PM, na garupa de uma moto roubada.

O adolescente foi baleado quando sentado em um sofá, na calçada, em frente de sua casa. Os tiros, segundo a Polícia, atingiram braço esquerdo, pescoço e costas – policiais supõe que o rapaz virou de constas quando recebeu os primeiros disparos. Ele morreu no local.

Os tiros foram feitos com a moto em movimento, mas, em baixa velocidade. Após os tiros, porém, o veículo deixou o local em alta velocidade.

Um morador do bairro que praticava corrida como exercício físico foi atingido por uma bala perdida – o projétil ficou alojado na sola do tênis e não atingiu seu corpo.

Os motivos da execução não foram oficialmente esclarecidos. A Polícia encontrou no chão dez cápsulas deflagradas de calibre 380 e pedaços de munição do mesmo calibre.

O nome do adolescente não é publicado em cumprimento ao Estatuto da Criança e do Adolescente. O nome da mãe dele também não é divulgado porque iria identificar, de forma indireta, o rapaz.

Em 27 de janeiro de 2.018 esse mesmo adolescente foi apreendido pela Polícia Militar quando estava na garupa de uma moto que foi perseguida no bairro Residencial Novo Mundo. O piloto da moto, que também era menor de idade, morreu baleado pelos policiais.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *