24 de janeiro de 2020

DONA DE PENSÃO É ASSASSINADA COM SEIS FACADAS POR HÓSPEDE QUE AINDA ROUBOU CARRO E ELETROELETRÔNICOS

Compartilhe

Tereza Ramos da Silva, de 70 anos, foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte) atingida por seis golpes de faca (um no pescoço, dois na barriga, um no rosto e dois na mão esquerda) dentro de um dos quartos da pensão de propriedade dela no Parque São Paulo, bairro vizinho ao Jardim Itatinga e perto das Rodovias Santos Dumont e dos Bandeirantes, em Campinas.

O corpo foi encontrado por pessoas da família (a filha, uma neta e o marido da neta) às 19h30 de quinta-feira 9 de janeiro de 2.020. Como ela não atendia o telefone celular e nem o telefone fixo desde a noite anterior (8 de janeiro), familiares foram até a pensão que fica na Rua Buritizal 223.

A Polícia, então, foi avisada e foi para o local. Foi preciso quebrar a janela para entrar no quarto que tinha a porta trancada. O corpo estava no chão numa poça de sangue.

Uma perita da Polícia Técnico Científica encontrou uma faca de cozinha, usada no crime. A lâmina foi lavada na pia de um banheiro, mas tinha vestígios de sangue.

Segundo foi apurado por policiais civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais), um homem que se identificou como “Carlos” locou um quarto por um mês no valor R$ 350,00. Ele fez o depósito desse valor na conta bancária da filha de Tereza, que administra a pensão. Porém, no dia 8, quarta-feira, ele estornou o valor.

Esse homem é apontado como autor do crime. Tereza foi assassinada no quarto alugado por ele. Não foi identificado oficialmente porque não havia cadastro dele na pensão. O veículo roubado não foi localizado.

O autor do assassinato roubou o Pálio Attratctiv 1.0, ano 2016, branco, que pertencia à filha de Tereza. Ele levou também aparelhos eletroeletrônicos. Por isso, o caso foi registrado como roubo à residência com violência que resultou em morte.

Tereza era natural de Araxá, Minas Gerais, onde nasceu dia 8 de março de 1.949. Ela morava em Campinas há 30 anos e era proprietária da pensão havia dez anos.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *