29 de fevereiro de 2020

CAMPINAS: GAROTO DE 11 ANOS MATA PADRASTO DE 43 ANOS A FACADAS NO PESCOÇO PARA DEFENDER A MÃE E O IRMÃO MAIS VELHO QUE ERAM AGREDIDOS COM SOCOS E ESTRANGULAMENTO

Compartilhe

O “fatídico evento”, como o fato foi classificado pela Polícia Civil, ocorreu no bairro Residencial Novo Mundo, no distrito do Campo Grande, na noite de segunda-feira, 10 de fevereiro de 2.020. Ao ver a mãe, de 40 anos, ser agredida com socos e chutes, e o irmão mais velho, de 15 anos, ser estrangulado, o menino de 11 anos pegou uma faca na cozinha e atingiu o padrasto, de 43 anos.

O homem, ferido no pescoço, ainda saiu da casa, porém, não resistiu aos ferimentos. O fato foi registrado na 2ª Delegacia da Defesa da Mulher de Campinas como violência doméstica, lesão corporal seguido de morte.

O nome das pessoas envolvidas e o endereço não são divulgados nesta notícia para preservar a identidade da criança, conforme determina o Estatuto da Criança e do Adolescente.

A Polícia Civil apurou que uma discussão entre o casal que vivia junto há dois anos começou por conta de o homem não ter feito o pagamento de alguns contas e, ainda, uma ligação irregular de energia na casa.

O homem trancou as portas da casa e ficou com a chave no bolso. Passou a agredir a mulher na frente dos filhos dela (de 15, o de 11 e um de seis) que são do primeiro relacionamento. O adolescente de 15 tentou proteger a mãe e foi agarrado pelo pescoço.

O menino pegou uma faca para “dar umas cutucadas” no agressor. A Polícia Civil, depois de ouvir o relato da mulher, do filho dela de 15 e do menino de 11, relatou que o padrasto “reiteradamente praticava agressões contra a companheira e seus enteados”. “A criança com apenas 11 anos de idade agiu sob forte emoção e apenas golpeou o agressor, para que o mesmo interrompesse a severa agressão contra o irmão”.

Em depoimento, a mulher disse que seu companheiro era muito ciumento, tinha feito ameaças de morte e praticado agressões contra ela e as crianças outras vezes.

O garoto ficou sob custódia da própria mãe. O menino chegou à Delegacia da Polícia Civil em estado de choque e teve que receber atendimento médico, segundo os policiais.

O homem que morreu trabalhava como técnico em instalação de linhas telefônicas. Foi decretado segredo de Justiça e o caso foi encaminhado para a Vara da Infância e da Juventude.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *