24 de janeiro de 2020

CAMPINAS EM 2019: 17 MULHERES ASSASSINADAS. SEIS AUTORES ESTÃO PRESOS, SETE NÃO FORAM IDENTIFICADOS, DOIS COMETERAM SUICÍDIO E DOIS ESTÃO EM LIBERDADE. SAIBA QUEM SÃO AS VÍTIMAS, ONDE OCORRERAM OS CRIMES, COMO FORAM MORTAS.

Compartilhe

De janeiro a dezembro de 2.019, dezessete mulheres morreram de forma violenta no município de Campinas: Oito por golpes de faca, seis por disparos de arma de fogo, duas carbonizadas e uma por enforcamento.

A Polícia Civil classificou os crimes da seguinte forma: oito mulheres foram vítimas de feminicídio (crime praticado contra a mulher por razões da condição do sexo feminino). Sete vítimas de homicídio (investigações iniciais apontam que a motivação de um dos crimes pode estar relacionada a desentendimento por motivos relacionados a outras pessoas, um caso de bala perdida e em seis mortes o suposto envolvimento das vítimas com pessoas ligadas ao tráfico de drogas). Duas vítimas de latrocínio (roubo seguido de morte).

Oito acusados foram presos, dois foram identificados e respondem inquérito policial em liberdade, dois tiraram a própria vida logo após o crime e sete não foram identificados. As investigações são feitas pela DHC (Delegacia de Homicídios de Campinas), nas duas Delegacias da Defesa da Mulher com apoio dos Distritos Policiais.

MULHERES ASSASSINADAS EM CAMPINAS EM 2019

4 DE JANEIRO – Uma adolescente de 13 anos atingida por um tiro disparado pelo namorado, um rapaz de 17 anos, que foi apreendido. Ela estava com a família em uma lanchonete nas imediações do Jóckei Clube,no Parque Via Norte, perto da Vila Boa Vista. Polícia registrou como FEMINICÍDIO.

17 DE FEVEREIRO – Josefa Rosendo da Silva, de 27 anos, assassinada com um tiro no Jardim Marisa, região do Jardim Campo Belo, perto das rodovias Santos Dumont e a SP-324 a Engenheiro Miguel Melhado de Campos (Vinhedo-Viracopos). O autor não foi identificado. Polícia registrou como HOMICÍDIO.

27 DE FEVEREIRO – Nice Romualdo Vieira, de 53 anos, morreu por queimaduras em 80% do corpo provocadas por fogo depois de ter sido “banhada” com álcool combustível, na loja de sua propriedade no Jardim Vista Alegre, distrito do Ouro Verde. O autor do crime, Moacir Zanella, de 51 anos, seu ex-marido, praticou suicido da mesma forma: jogando álcool no corpo e ateando fogo. FEMINICÍDIO.

6 DE MARÇO – Fátima Aparecida Bertoline, de 40 anos, espancada e com queimaduras em 80% do corpo. Ela vivia em situação de rua numa casa abandonada na Avenida Barão de Itapura, no bairro Guanabara. O companheiro dela, Sandro Joel do Nascimento, de 40, foi preso em flagrante acusado de ser o autor do crime. FEMINICÍDIO.

26 DE MARÇO – Odilia Fatoretto Balan, de 82 anos, morta a facadas dentro de sua casa no bairro Vila Nova. Segundo a Polícia, o autor do crime foi Guilherme Faria de Oliveira, de 24 anos, namorado de uma das netas da vítima. Ele responde processo em liberdade. HOMICÍDIO.

14 DE ABRIL – Meridiana Gomes de Souza, de 31 anos, assassinada a tiros na Estrada do Mão Branca, perto do Aterro Sanitário Delta. Um homem, não identificado, também foi morto da mesma forma junto com ela. Os corpos foram encontrados um próximo do outro. O autor do duplo homicídio não foi identificado. HOMICÍDIO.

28 DE ABRIL – Jeane Jeyce Maria da Conceição, 18 anos, assassinada com golpes de faca, na Rua Juvenal de Oliveira, no Jardim São Domingos, bairro da região do Jardim Campo Belo, nas margens das rodovias Santos Dumont e SP-324 a Engenheiro Miguel Melhado de Campos (Vinhedo-Viracopos). O autor do crime não foi identificado. HOMICÍDIO.

10 DE MAIO – Thais Fernanda Ribeiro, de 21 anos, morta a tiros em seu apartamento na Rua Elza Monnerat, no CDHU Edivaldo Orsi, região do bairro San Martin, no Distrito de Nova Aparecida. Segundo a Polícia, o autor do crime é o ex-namorado dela, Lucas Henrique Siqueira Santana, 23 anos, que foi preso em Santo André, no ABCD Paulista. FEMINICÍDIO.

21 DE MAIO – Sabrina Braz Barbosa, de 28 anos, assassinada por enforcamento em sua casa no bairro São Bernardo. O caso foi registrado inicialmente como suicídio. Mas, investigações feitas pelo 5o Distrito Policial revelaram indícios de assassinato. Por isso, em 6 de junho o caso foi registrado como feminicídio. O principal suspeito, conforme as investigações da polícia, é o marido da vítima. FEMINICÍDIO.

24 DE JUNHO – Ondina da Silva Felcar Mazzaro, 85 anos, morta a golpes de faca dentro de sua casa na Avenida da Saudade, região do Jardim Leonor. O marido dela, Nelson Mazzaro, de 82 anos, também foi morto a facadas. Dinheiro e objetos foram roubados, segundo a Polícia. LATROCÍNIO.

27 DE AGOSTO – Carla Karolina Bezerra da Silva, 25 anos, assassinada a golpes de faca na Favela Buraco do Sapo, na Avenida Marechal Rondon, no Jardim Eulina, nas margens da Rodovia Anhanguera. O autor não foi identificado. HOMICÍDIO.

5 DE SETEMBRO – Emília de Farias dos Anjos, de 34 anos, esfaqueada e carbonizada, na linha do trem do Parque Universal, uma ocupação de famílias sem teto que fica na região da Vila Padre Anchieta, perto do Complexo Penitenciário Campinas-Hortolândia. O autor não foi identificado. HOMICÍDIO.

29 DE OUTUBRO – Ana Mahas Zatter, de 38 anos, assassinada a tiros num condomínio residencial de alto padrão no bairro das Palmeiras. Segundo a Polícia, o autor foi o namorado dela o advogado Felipe Faccio Moretti, que foi preso e autuado em flagrante. FEMINICÍDIO.

3 DE DEZEMBRO – Renata Aparecida Ferreira Barreto, de 40 anos, morta com golpes de faca dentro de sua casa na Rua Dr. Eduardo Edargê Badaró, no Jardim Eulina. O autor foi preso pelos policiais da DHC(Delegacia de Homicídios de Campinas). Ele invadiu a casa e roubou celular, laptop e uma jaqueta. LATROCÍNIO.

9 DE DEZEMBRO – Luciana Esteves Garcia, de 42 anos, morta com tiros (16 perfurações no corpo) de pistola semiautomática de calibre 9 milímetros na Estrada do Mão Branca, região do Jardim Rossim, na encosta do viaduto sobre a Rodovia dos Bandeirantes. O autor não foi identificado. HOMICÍDIO.

13 DE DEZEMBRO – Carla Vanessa Agostinis Vieira, de 30 anos, morta com golpes de faca nas costas e no braço e com  golpes de tesoura no pescoço e no peito no Jardim Ouro Preto, no Distrito do Ouro Verde. O autor do crime tirou a própria vida ao pular de um viaduto, na Rodovia anhanguera e ser atropelado por um ônibus. FEMINICÍDIO.

14 DE DEZEMBRO – Márcia Cristina Moreira, de 31 anos, assassinada com cinco golpes de faca dentro de sua casa no distrito de Sousas. O autor do crime, seu ex marido, Antônio Martins Neto, de 31 anos, telefonou para um amigo e depois se entregou à Polícia Militar. Ele foi autuado em flagrante  e encaminhado para a cadeia. FEMINICÍDIO.

 

 

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *