24 de janeiro de 2020

CAMPINAS: 21 HOMENS MORRERAM EM CONFRONTO COM A POLÍCIA MILITAR E A GUARDA MUNICIPAL EM 2019

Compartilhe

Em versão oficial registrada em Boletim de Ocorrência e, posteriormente, em Inquérito Policial, de janeiro a dezembro de 2.019, no município de Campinas, 21 pessoas, todas do sexo masculino, morreram ao reagirem de alguma forma à intervenção policial. Desse total, quatro mortos não foram identificados. Dos 17 identificados, 16 tinham antecedentes criminais, ou seja, responderam ou estavam respondendo inquéritos policiais ou processos conforme foi apurado pela Polícia.

O único que não possuía antecedentes criminais é um azulejista de 52 anos que, segundo os fatos registrados oficialmente, teve um surto após agredir a facadas uma pessoa em um bar e foi baleado quando tentou, também, atacar um policial militar com um facão.

Todos os casos foram registrados com o título de “morte decorrente de intervenção policial”, com base na Resolução 05\2013 da Secretaria da Segurança Pública.

A descrição oficial de um dos casos de 2.019: “Apesar das inúmeras verbalizações para que o suspeito se entregasse.diante da situação, a fim de preservar suas integridades físicas, logo que os disparos realizados pelo suspeito cessaram, os policiais militares procederam uma nova tomada de ângulo para olharem no interior do cômodo e, ao se depararem com o suspeito com o revólver em punho apontado para a porta do quarto, ambos os policiais militares revidaram a agressão com tiros disparados…”

CONFORME VERSÃO OFICIAL REGISTRADA PELA POLÍCIA SAIBA QUEM SÃO OS QUE MORRERAM, ONDE E COMO ACONTECEU:

20 JANEIRO – Eric Fernando Sebastião, de 33 anos, é baleado e morreu na Avenida Dr. Manuel Afonso Ferreira, em frente do Parque Ecológico. Ele e um comparsa haviam assaltado um homem de 76 anos e fugiam numa moto. Guardas tentaram abordá-los. Ele apontou arma passa os guardas que atiraram. O comparsa conseguiu fugir na moto.

10 DE FEVEREIRO – O azulejista Manoel Santo da Silva, de 52 anos, tentou matar um homem durante briga em um bar no Parque Tropical, região do Jardim Campos Elíseos. Quando policiais militares se aproximaram ele teria investido com um facão. Um dos policiais atirou. Manoel morreu em razão dos ferimentos.

20 DE FEVEREIRO – Ivan Carlos Caleda, de 26 anos, e Wallison Evandro Xavier dos Santos, de 27, que estavam num trator roubado no Jardim Nossa Senhora de Lourdes, trocaram tiros com policiais militares. Os dois foram baleados e morreram.

14 DE MARÇO – Homem desconhecido que era “olheiro” de um local que armazenava drogas reagiu a tiros contra policiais militares e foi baleado. Em razão dos ferimentos, morreu. O fato ocorreu na Rua Ademar Pereira de barros, na região do Jardim São Vicente.

15 DE MARÇO –  Hugo Gustavo da Silva Santos, de 26 anos, morreu ao trocar tiros com policiais na Vila Castelo Branco. Ele comandou um arrastão na moradia de um grupo de dentistas e agrediu reféns com coronhadas na cabeça. Dois comparsas foram presos.

20 DE MARÇO – Um homem não identificado roubou um carro importado e na fuga trocou tiros com policiais, foi baleado e morreu. A perseguição aconteceu na Vila Padre Anchieta.

23 DE MARÇO – Carlos Alexandre Balieiro, de 32 anos, estava em um Fiat Uno roubado na companhia de dois adolescentes. Ele reagiu aos policiais a tiros, foi baleado e morreu. Os dois menores foram apreendidos. Aconteceu na Rua Heitor Ribas Ribeiro, no Jardim Satélite Íris.

30 DE MARÇO – Um adolescente, de 17 anos, que participou de um roubo de uma caminhonete Ford Ranger, morreu baleado ao trocar tiros com policiais no Jardim São Miguel.

4 DE ABRIL – Jorge Silva dos Santos, de 21 anos, tentou pegar a arma de um policial militar durante uma abordagem na Rua Francisco Elisiário, no Bonfim. Foi baleado e morreu. Havia drogas num barracão abandonado onde os policiais faziam verificação.

10 DE MAIO – Leandro Lima, de 20 anos, morreu baleado ao trocar tiro com policiais no Jardim Campos Elíseos. Ele invadiu uma residência junto com comparsas para roubar objetos.

27 DE MAIO – Dois homens que não foram identificados trocaram tiros com policiais militares depois de assaltarem um estabelecimento comercial no Jardim Aeroporto de Viracopos. Os dois morreram baleados.

18  DE JUNHO – Maicon Gonçalves, de 20 anos, participou, com comparsas, de um roubo a uma residência no Jardim Nossa Senhora de Lourdes. Na fuga, em um veículo Amarock, houve troca de tiros com policiais militares. Ele foi baelado e morreu.

9 DE JUNHO – Um homem não identificado trocou tiros com policiais perto dos “predinhos” do Jardim Bassoli, após uma abordagem. Morreu baleado.

17 DE JUNHO – Três homens que participaram de um megaroubo a um veículo de transportes de valores no Aeroporto Internacional de Viracopos, morreram depois de trocar tiros com policiais militares e guardas municipais. O restante da quadrilha fugiu. Um dos mortos mantinha uma mulher como refém dentro da casa dela. Ela foi baleada e ficou internada.

4 DE NOVEMBRO – João André Costa do Nascimento, 39, invadiu um ônibus que seguia de Campinas para são Paulo e tentou assaltar os passageiros. Um policial militar que estava de folga, e, portanto, não vestia farda, era um dos ocupantes do ônibus. O assaltante que fazia ameaças foi baleado e morreu. Aconteceu no km 92 da Rodovia Anhanguera.

1 DE DEZEMBRO – Cláudio Roberto Alves, de 43 anos, enfrentou policiais militares com tiros de fuzil em uma casa no Jardim Boa Esperança. Ele e comparsas haviam participado do roubo de um veículo. Dois homens foram presos. Cláudio atirou contra os PMs, foi baleado e morreu.

3 DE DEZEMBRO – Luís Alberto Forner de Araújo, de 19 anos, reagiu a tiros a uma abordagem de policiais militares numa casa na Rua das Flores, no Parque Real, no distrito de Barão Geraldo. (foto que está nesta notícia é da movimentação policial em frente da residência naquele dia). Foi baleado e morreu.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *