24 de janeiro de 2020

ANO DE 2020 COMEÇA ASSIM EM CAMPINAS: DIA 3, MULHER ASSASSINADA PELO EX QUE EM SEGUIDA TIRA A PRÓPRIA VIDA E CÂMERAS FILMAM TUDO. DIA 4, MOTORISTA DE APLICATIVO É MORTO POR LADRÕES QUE LEVAM SEU CARRO. DIA 5, DESEMPREGADO MATA O CUNHADO COM TIROS DE PISTOLA DEPOIS DE DISCUSSÃO BANAL

Compartilhe

Camila, 29 anos, Luiz Pereira, 40 anos, Everton, 33 anos, e, Odecir, de 46, são a primeiras vítimas de morte violenta neste ano de 2.020 em Campinas. Todos foram mortos por tiros.

FEMINICÍDIO E SUICÍDIO – Camila Barros Rodrigues, de 29 anos, foi assassinada com três tiros pelo ex-companheiro Luiz Pereira da Silva, de 40 anos, que tirou a própria vida, também a tiros, às 18 horas do dia 3 de janeiro de 2.020, na portaria da empresa (foto) onde ela trabalhava como assistente administrativa na Rua Celso Egídio de Souza Santos, no Jardim Chapadão, vizinho ao bairro Castelo.

Os dois estavam separados havia seis meses, depois de viverem juntos por um ano. Segundo foi apurado pela Polícia, Luiz Pereira premeditou o crime e deixou tudo contado em sua página no Facebook.

Ele usou um revólver de calibre 38, clandestino, ou seja, de numeração raspada. Houve uma breve discussão quando os dois se encontraram. Ela saia do trabalho. Em seguida ele sacou a arma e disparou contra ela. Depois, deu quatro tiros contra o próprio corpo. Ele morreu no Hospital da Clínicas da Unicamp.

Câmeras do circuito de segurança da empresa gravaram todas as cenas. As imagens foram apreendidas pela Polícia Civil. Essas mortes foram registradas como feminicídio (contra mulher por razões da condição do sexo feminino) e suicídio consumado.

Camila era natural de Parnaíba, no Piauí, onde nasceu em 8 de agosto de 1.990. Luiz Pereira, que trabalhava como vigilante e fazia “bicos” de motorista que atende chamadas por de aplicativo, era natural de Pereiro, no Ceará, onde nasceu em 9 de outubro de 1.979.

LATROCÍNIO (ROUBO SEGUIDO DE MORTE) – Everton Rodrigo de Oliveira Basso(foto), de 33 anos, que trabalhava como motorista que atende chamadas por aplicativo, teve seu carro Prisma preto roubado e foi assassinado com dois tiros(peito e ombro esquerdo), na noite de 4 de janeiro de 2.020, na Rua Celso Egídio de Souza Santos, no bairro Chapadão.

Ele morava em Hortolândia, município da RMC (Região Metropolitana de Campinas). Foi buscar dois homens no bairro Jardim São Marcos, que fica nas margens da Rodovia Dom Pedro e os levou até o bairro Chapadão.

Imagens(foto) gravadas por câmeras de segurança mostram os dois homens desembarcando do carro e junto com o motorista que é empurrado para o porta-malas. Ele tenta fugir, mas, é perseguido e baleado. Os homens voltam para o carro e vão embora. Não foram identificados.

Everton morreu ao dar entrada no Hospital das Clínicas da Unicamp.

HOMICÍDIO EM FAMÍLIA – Odecir Lindolfo, de 46 anos, foi morto com tiros de pistola semiautomática de calibre 380 depois de uma discussão “por motivos banais”, conforme apuraram policiais militares e civis. O crime aconteceu às 21h30 do dia 5 de janeiro de 2.020, na Rua Nelson Taufik Nassif, no bairro Residencial Mauro Marcondes. Segundo testemunhas o autor do crime é um homem de 39 anos que está desempregado e é cunhado de Odecir.

A discussão aconteceu dentro da casa de Odecir. Ele tentou deixar o local em um Pálio Fire Economy, porém, foi baleado quando entrava no veículo. Foram disparados 11 tiros. O carro também foi perfurado. O autor dos disparos fugiu a pé.

Entre as testemunhas do crime que foram ouvidas pela Polícia Civil, na 2ª Delegacia Seccional de Campinas, estão a filha de Odecir e o filho do acusado de ser o autor do crime.

Odecir era natural de São João do Ivaí, Interior do Paraná, onde nasceu dia 28 de agosto de 1.973.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *