24 de janeiro de 2020

Ajudante geral mata a mulher a facadas na frente da filha e da neta dela, coloca a culpa na vítima e diz que “está dentro da minha casa, tem que respeitar”

Compartilhe

Claudia Lopes Aragão, de 44 anos, foi assassinada com duas facadas na barriga, pelo companheiro, o ajudante geral José Jair Justino, de 58 anos, na tarde deste dia 6 de março de 2019, em Sumaré.

A filha dela, de 20 anos, de outro casamento, e a neta, de 1 ano, presenciaram o crime.

Ele foi preso e autuado em flagrante por feminicídio (contra mulher por razões da condição de sexo feminino), previsto no inciso 5º do parágrafo 2º do artigo 121 do Código Penal.

Em entrevista à repórter Cristiani Azanha, do jornal Tribuna Liberal, o autor do crime fez acusações à vítima: “ela usa droga, fica doida, pegou um galão de gasolina e jogou; caiu no meu olho”.

Ouça detalhes da entrevista

Contou que saiu correndo e pedindo ajuda aos vizinhos. “Lavei o olho, e voltei lá”, contou. E que “avisou” a mulher: “você não vem não que vou te matar; ela pegou e veio pra cima de mim; eu peguei a faca e acertei ela”.

Ele ainda falou: “Ela tem que respeitar eu; está dentro da minha casa”.

O crime aconteceu às 14h30 na casa onde os dois moravam havia dois anos, no Residencial 2, um conjunto de casas que fica na Avenida Fuad Assef Maluf, no Jardim Bela Vista, região do Jardim Picerno – bairros localizados no limite de Sumaré com Nova Odessa.

Houve uma discussão entre o casal. A filha de Cláudia e a neta estavam na casa.

Segundo foi apurado pela polícia, provavelmente como atitude de defesa, a mulher jogou gasolina no rosto do companheiro.

Ele saiu, lavou os olhos e retornou. Houve nova discussão e, com uma faca de cozinha, o homem atingiu Cládia com dois golpes. Ela morreu no local.

O autor fugiu e foi denunciado pelos moradores vizinhos. Jair foi encontrado pela Polícia Militar na Avenida Júlio Barijan, no Portal Bordon, bairro vizinho.

Segundo os policiais “de imediato ele confessou a autoria do crime”. Levado à Delegacia da Defesa da Mulher de Sumaré, Jair foi autuado em flagrante e encaminhado para a cadeia.

A faca usada no crime foi apreendida.

Claudia nasceu na Capital paulista em 16 de julho de 1.974.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *